Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Música do Brasil

Música do Brasil

João Bosco & Vinícius reúnem o rodeio todo em disco de covers, "Estrada de Chão"

João Bosco & Vinícius lançam neste mês o disco “Estrada de Chão”, com covers e participações das maiores estrelas do sertanejo. A dupla recebeu no estúdio Chitãozinho & Xororó, Leonardo, Zezé di Camargo & Luciano, Sérgio Reis, Roberta Miranda, eRionegro & Solimões, entre outros -- basicamente todo mundo que é alguém no rodeio.

João Bosco & Vinícius lançam disco com participações de Chitãozinho e Xororó, Sergio Reis, Roberta Miranda, Rio Negro e Solimões, Leonardo, entre outros

O disco foi feito para comemorar a carreira da dupla, com foco nos dez anos iniciais, quando ainda eram universitários (mas bem antes do sertanejo universitário) e, desconhecidos, tocavam em botecos para um público pequeno.

Em “Estrada de Chão”, João e Vinícius não se preocuparam em preparar mega hits para chegar ao número 1 das rádios. Preferiram homenagear os ídolos da música que admiravam quando estavam começando e admiram até hoje.

João e Vinícius estão na estrada há 22 anos. Começaram a cantar quanto tinham 12 de 13

“Não são apenas músicas trabalhadas nas rádios. Escolhemos músicas que a gente ouvia, de discos inteiros, e tirava as que ficavam melhor com as nossas vozes”, explica João Bosco ao iG.

Isso explica a escolha do repertório com títulos praticamente desconhecidos como “Me Leva Pra Casa” (do segundo disco de Zezé e Luciano, de 1992),  “Vida Pelo Avesso” (da dupla Durval & Davi, de 1987) e “As Paredes Azuis” (de João Mineiro & Marciano, de 1984). “São músicas que nos marcaram muito e não escolhemos nenhuma clichê”, disse o sertanejo.

A favorita, segundo ele, é “Esperando Você Chegar”, cantada com participação de Roberta Miranda, mas original de Chrystian & Ralf. A dupla goiana, aliás, é dona do disco favorito de João -- “Prazer por Prazer”, de 1995. “Para mim é um dos melhores. Foi uma pena que eles não puderam gravar com a gente.”

Bem antes do universitário

João fala com saudosismo sobre a época em que cantavam nos bares de Campo Grande, quando ele estudava odontologia, e Vinícius fisioterapia. “No bar a reação é imediata. Você sabe se a pessoa está gostando ou não. Então muda, aprende a improvisar.”

Para ele, o que não mudou nesses 22 anos foram a amizade e vontade de realizar sonhos. “Poder reunir treze ídolos para cantar no nosso disco, esse tipo de coisa faz com que a gente continue. A vontade de se superar é a mesma.”

Capa do disco

Por outro lado, o sucesso nacional desafia a dupla cada vez mais. “Quando você consegue o sucesso a cobrança passa a ser maior, tanto dos contratantes, quando do público. Aprendemos isso: o artista tem que se manter sempre relevante.”

Considerados precursores do sertanejo universitário, João e Vinícius discordam que o gênero abandonou as raízes da música caipira ou do próprio sertanejo. “Nunca nos preocupamos com isso. E também nunca perdemos o tema maior do sertanejo, que é o amor”, diz João.

Ele explica que “Estrada de Chão” até surgiu apenas como um “projeto paralelo”, mas enquanto as músicas foram ficando prontas, perceberam que o potencial do disco como comercial. “A aceitação está sendo maravilhosa. Independente de ser sertanejo ou universitário, é tudo sertanejo.”

Atualmente, a João e Vinícius estão na estrada, começando a trabalhar as músicas de “Estrada de Chão” aos poucos. A primeira é a única inédita da dupla, que abre o disco, “Amiga Linda”. Depois, vão ensaiar um show completo, que deve estrear no segundo semestre. “Queremos fazer um show mais intimista, para ter uma proximidade maior com o público”, finaliza João.

 

Fonte: IG

Comentar:

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.