Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Música do Brasil

Música do Brasil

Adriana Calcanhotto na Casa da Música: a reportagem do concerto

Adriana Calcanhotto, uma das vozes mais doces do Brasil, esgotou, na passada segunda-feira, a Casa da Música, no Porto, com espectáculo muito intimista, no qual mostrou os sons tradicionais daquele país.

Adriana Calcanhotto subiu ao palco, trazendo na bagagem o recente "Micróbio do Samba", um trabalho inspirado no Rio de Janeiro, onde vive actualmente, no Rio Grande do Sul, onde nasceu, e em Portugal, um país que - diz - a apaixona.

De facto, parece existir uma ligação muito forte entre Adriana Calcanhotto e o nosso país, a julgar pela robusta e entusiasta reacção do público portuense.

 

Com um cenário bastante simples, que obrigava o público a focar a atenção, única e exclusivamente, nos músicos, Adriana Calcanhotto estudou bem a lição, para não deixar o público do Porto entorpecer,  já que de uma segunda-feira à noite se tratava.

Por entre brincadeiras e formas de dançar muito particulares, Adriana Calcanhotto mostrava-se verdadeiramente feliz por estar a fazer aquilo que mais gosta e transmitia essa paixão para o público que, mesmo não sabendo todas as letras das músicas apresentadas, lá ia batendo o pé e abanando a cabeça, atento.

 

Vários instrumentos foram tocados durante a noite, uns mais conhecidos, outros nem tanto, sendo que alguns pareciam verdadeiras armas arremessadas do espaço. Todo o género de sonoridades era produzido, havendo samba tipicamente brasileiro, mas também músicas mais tristes, solitárias.

Sem nada para distrair a plateia, sem ecrãs nem luzes ofegantes, Adriana Calcanhotto procurou criar o seu próprio mundo ao vivo e a cores. Um secador de cabelo, como se fosse o objecto mais normal a ter em cima do palco, foi usado para espalhar folhas, criando um efeito artístico engraçado. Uma faca e um prato também serviram para fazer sons, que, curiosamente, encaixavam na perfeição. Tudo parecia estar pensado e preparado meticulosamente e nada saiu mal.

 

 

Temas e mais temas foram tocados, com especial atenção para os do seu mais recente trabalho, havendo ainda tempo para um coro de vozes masculinas, protagonizado pelos músicos da banda.

Adriana Calcanhotto, tal como entrou, despediu-se de uma maneira muito subtil, sob um forte aplauso. E não demorou muito até voltar a encarar a plateia, que a recebeu de pé, sentida.

Vambora, provavelmente o tema mais esperado da noite, faria as delícias dos presentes, antes destes rumarem ao ser lar. Praticamente todos sabiam a letra e cantavam em uníssono, enquanto Adriana Calcanhotto se despedia, pela última vez, da cidade que a acolheu com um carinho especial.

 

Fonte: Palco Principal