Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Música do Brasil

Música do Brasil

Ed Motta de volta ao baile

 

   Depois das primeiras e segundas intenções de seu Manual prático para festas, bailes e afins Ed Motta retoma o clima de festa em Piquenique, seu novo álbum lançado pela Trama. Décimo título da carreira do cantor, o disco vem em clima pop depois de viagens a países experimentais. Mas não perde referências do caminho.

O cardápio de Piquenique tem soul com raízes dos anos 70. Tudo muito bem trabalhado e com sonoridade própria como preza a marca perfeccionista de Ed Motta, confesso aficionado por timbres e texturas musicais. O disco tem alma dançante, músicas boas que pegam como irresistível chiclete pop/soul mantendo as intenções do jazz.

O álbum segue receita de bons sucessos como Fora da lei (1997) e Colombina (2000), ambas parcerias dele com letras caprichadas de Rita Lee. A dupla volta a se reunir nesse novo álbum, e Rita e Ed assinam Nerfetiti, bom jogo de rimas coberto com batida funk. Esse baile de Ed Motta anuncia outra participação feminina, com a voz de Maria Rita no clima sacana de A turma da pilantragem com irresistível balanço e dueto que revela perfeita união das grandes vozes.

Mulher de Ed há 18 anos, a artista plástica Edna Lopes estreia como letrista no disco assinando onze das doze músicas. Seus temas cabem perfeitamente na festa de Ed. Os temas variam, podendo ir desde a personagem classe média de Mensalidade ("Fiz crediário e carnê / Pensando em ter") até a divertida perua embriagada da ótima Pé na jaca ("Foi pro iate / Com uma bebida escarlate / Cor do esmalte / E do baton sur ton"). Algo entre o cartoon e o cinema americano, Nicole versus Cheng tem cenas de perseguição e sonoplastia típica. O resultado soa coeso também em baladas como Carência no frio e Compromisso. Mas o tom é mesmo o baile como fica claro desde a abertura com a deliciosa Minha vida toda com você, pronta para estourar nas rádios.

Piquenique tem produção dividida entre Ed Motta e o multi-instrumentista Silveira. O clima passa pelo funk do Doobie Brothers e dos brasileiros Robson e Lincoln em um disco festivo e sofisticado. Ed Motta troca as experiências musicais optando por retomar a boa festa. Vozeirão, talento e cadência funk/soul casam com o profundo conhecimento de causa. Ávido colecionador musical, Ed Motta persegue vinis de mestres do balanço. Aqui ele está de volta ao universo deles na festa pop e alegre desse Piquenique, trilha ideal para um sábado à noite cheio de estilo.

 

Fonte: ZiriGuidum