Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Música do Brasil

Música do Brasil

Sem pressão do mercado, NX Zero lança terceiro disco e ignora críticas

Um ano e meio após lançar "Agora", chega às lojas o terceiro disco de estúdio do NX Zero, intitulado "Sete Chaves". Produzido por Rick Bonadio, o álbum é definido como o "mais visceral e orgânico" pelo baterista da banda, Daniel Weksler, que nega existir pressão da gravadora ou dos fãs para que a banda lance discos com intervalos tão curtos.

 

Para baterista, novo disco é o "mais visceral" do grupo

Para Daniel Weksler, novo disco é o "mais visceral e orgânico" do grupo

 

"A gente sabe que daqui a 10, 15 anos, vai tá todo mundo com família e filhos. Então partimos do pressuposto de que, se está saindo música e a gente tem pique para fazer show, então não tem porque não fazer", explicou o baterista em entrevista à Folha Online.

Dividindo a cena musical brasileira com "veteranos" como Skank, Titãs e Capital Inicial, Weksler afirma não sofrer preconceito e ou críticas dos colegas de profissão. "A galera meio que apadrinha a gente. Os caras do Skank viraram tipo irmãos mais velhos, de conversar e dar conselho. Eles viram que a gente gosta tanto do que faz que, independentemente se gostam ou não, eles respeitam muito."

Sobre as críticas que a banda enfrentou no início da carreira por ter músicas e letras melosas, consideradas "emo", o baterista diz que as pessoas "deram uma desencanada". "A nossa paixão é a música e a gente quer que as pessoas simplesmente tenham olhos pra isso. Se você for procurar, não saem coisas sobre a nossa vida pessoal. Nós tentamos manter o máximo de foco na música", afirma.

 

Os integrantes do NX Zero; banda lançou recentemente seu terceiro álbum de estúdio, "Sete Chaves"

Os integrantes do NX Zero; banda lançou recentemente seu terceiro álbum de estúdio, "Sete Chaves"

 

Referências

Para compor e gravar as músicas de "Sete Chaves", Weksler diz que banda ouviu bastante Audioslave, Green Day e Jamiroquai, entre outras coisas. "Ao mesmo tempo que a gente gosta de ouvir umas coisas mais porradas, também gostamos de ouvir coisas mais tranquilas, violão e voz. São coisas que a gente escuta na mesma proporção, não ficou nada forçado", diz.

Enquanto a banda não lança a turnê do novo disco, prevista para março, eles continuam excursionando com o show antigo, com duas músicas novas incorporadas à apresentação: "Só Rezo" e "Espero a Minha Vez".

O baterista explica que, neste ano, os shows da banda foram afetados primeiro pela crise econômica e, em seguida, pela gripe suína. "Os pais encanaram muito de os filhos ficarem saindo pra ver show e tudo mais, então a gente só tá voltando agora. Fazemos uma média de 12 apresentações por mês", afirma o músico, que no ano passado fez cerca de 200 shows com a banda.

 

Carreira

Lançando discos em ritmo acelerado hoje em dia, Weksler diz que os integrantes esperam viver de música ainda por um bom tempo. "Se a gente não continuar tendo fama nem sucesso, eu vejo a gente tocando junto no porão de uma casa", diz.

Mas o baterista diz que a banda também saberá qual o melhor momento para parar. "A gente tem uma cabeça super resolvida com essas coisas que, na hora que for pra dar uma parada, talvez a gente dê mesmo. Não adianta querer insistir, vira uma nostalgia perigosa", diz.

Além da turnê nova, o NX Zero ainda prepara para o ano que vem um material que reunirá fotos e vídeos da banda. Segundo o baterista, eles têm reunido material durante algum tempo, mas ainda não definiram o formato do novo produto.

 

Fonte: Folha Online

Comentar:

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.