Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Música do Brasil

Música do Brasil

Esqueceram o samba reggae?

Esqueceram o samba reggae?

A música baiana é conhecida por sua grande mistura, criando ritmos que encantam brasileiros e estrangeiros. Com tanta variedade, às vezes algumas importantes vertentes parecem ficar esquecidas durante a renovação, como pode estar acontecendo com o samba reggae.

Mais que um ritmo, o samba reggae trouxe uma reinvenção da música. O estilo diferenciava-se do reggae convencional, que baseava-se no baixo e guitarra, apresentando agora a harmonia entre instrumentos como taróis, repiques e tambores. As letras das musicas encantavam ao mesmo tempo em que conscientizavam e chamavam a atenção da população sobre as questões referentes ao negro.

Com uma forte influência do movimento rastafári, tem Bob Marley como seu principal ícone, o samba reggae tornou-se uma das maiores formas de expressão da negritude, mostrando para as pessoas através de sua música a beleza do negro, sua luta na sociedade durante a história, sua cultura, entre outros aspectos.

A musicalidade negra ganhou as ruas e passou a ser ouvida por todos através de entidades como Ilê Aiyê, Malê Debalê, Olodum, Ara Ketu, Badauê, Afreketê, Mundo Negro, importantes organizações culturais atuantes no movimento negro e nomes como Gilberto Gil. Posteriormente artistas como Margareth Menezes e Daniela Mercury também tornaram-se grandes aliadas e junto aos nomes citados entre outro fortes nomes da música afro, mantêm viva a energia do samba reggae, que tem em sua história musical incontáveis clássicos que narram a beleza e luta negra.

Hoje parece que a história é meio esquecida e no meio da música o samba reggae não é encontrado com muita facilidade nos repertórios de muitas bandas, principalmente nas que fazem parte da chamada “renovação do axé”. A beleza dos tambores e repiques antes acentuados, agora não é escutada com tanta clareza e as músicas tocadas nos show normalmente limitam-se aos sucessos atuais.

Será que a essência deste fenômeno chamado samba reggae – dono de uma história muito mais vasta que o resumo apresentado neste texto – não merece um reconhecimento maior? Falta atualmente a ela um lugar de destaque nos repertório, que com o passar do tempo podem tornar-se monótonos e sem conteúdo histórico.

Salve Daniela Mercury, Margareth, grupos afros e as demais bandas e artistas que ainda valorizam o samba reggae!

 

Fonte: Axezeiro

Comentar:

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.