Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Música do Brasil

Música do Brasil

Documentário dos Titãs tem boas histórias

Goste-se ou não, os Titãs estão entre as bandas mais representativas do pop-rock do Brasil. Nesse sentido, um filme como "A Vida Até Parece uma Festa" interessa não apenas aos fãs de "Marvin", "Flores" e "Cabeça Dinossauro" mas a qualquer um que queira conhecer/relembrar parte da música pop brasileira saída dos anos 80 --vale ressaltar: a época mais bem-sucedida da música pop brasileira.

Dirigido por Branco Mello (um dos vocalistas dos Titãs) e Oscar Rodrigues Alves, "A Vida Até Parece uma Festa" traz 1) cenas tiradas de gravações de programas de televisão, como os de Faustão, Bolinha e Hebe Camargo; e 2) material colhido pela câmera de Branco Mello, em bastidores e momentos privados da banda.

Vemos os músicos discutindo e votando, na casa de Charles Gavin (baterista), quais músicas devem entrar em determinado disco. Vemos Branco, Sergio Britto (vocalista) e Marcelo Fromer (guitarrista, morto em 2001) bem "altos" num quarto de hotel qualquer. Vemos a banda em viagens e no camarim dos shows.

Os Titãs têm quase 30 anos de vida, mas um documentário como esse só poderia ter saído agora. Porque, com a passagem dos anos, o que era trash vira cult. Um exemplo é a participação da banda, em 1985, num quadro do programa de Gugu Liberato, em que os músicos "salvam" uma fã que havia sido raptada por uma aranha. Ou Silvio Santos brincando com seu auditório sobre a faixa "Bichos Escrotos".

Essas e outras imagens de arquivo, além das cenas captadas por Branco Mello, resultaram em 300 horas de filme, que foram editadas em 90 minutos.

Em grande parte desse tempo, "A Vida Até Parece uma Festa" assemelha-se a apenas uma coleção de imagens saborosas e nostálgicas. O documentário ganharia muito se fosse apoiado por uma narrativa consistente, por uma contextualização dos episódios vividos pela banda --coisas que poderiam ter sido obtidas, por exemplo, com depoimentos de gente de fora da banda.

 

Prisão e saídas

A seu favor, "A Vida Até Parece uma Festa" não se exime de escancarar a prisão de Arnaldo Antunes e Tony Bellotto (por posse de heroína), a morte de Fromer e as saídas de Antunes e Nando Reis --e percebemos que a saída de Nando Reis foi muito mais amarga para a banda do que a de Antunes.

Se em tempos de MySpace e MP3 os Titãs sofrem para criar algo realmente relevante, o longa-metragem funciona como um documento de uma banda que ajudou a fomentar e a formatar a música pop brasileira.

 

Fonte: Folha Online