Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Música do Brasil

Música do Brasil

César Menotti e Fabiano na Europa

 

A dupla César Menotti e Fabiano viaja, no final desse mês, para três shows na Europa, dentre eles,  o do "Brazilian Day" de Londres.

É a primeira vez que a dupla se apresenta no continente.

No dia 29, os irmãos se apresentam em Milão, na Itália.

No dia 31, são a principal atração do Brazilian Day de Londres, na Inglaterra, que também terá o grupo "Fundo de Quintal".

E no dia primeiro de agosto, a dupla se apresenta na capital portuguesa, Lisboa.

Nos últimos dois anos, César Menotti e Fabiano fizeram shows nos Estados Unidos.

Por conta dessas viagens, esse ano foi lançada a canção "Imigrante", em homenagem aos brasileiros que moram no exterior.

 

Fonte: Universo Sertanejo

Seu Jorge lança CD no exterior com novo projeto

 

Seu Jorge está investindo em mais um projeto. Trata-se do grupo Almaz (palavra que significa diamante em russo), que ele montou junto com dois integrantes do grupo Nação Zumbi, o baterista Pupillo e o guitarrista Lucio Maia, além do baixista Antonio Pinto.

Eles tocaram juntos pela primeira vez ao gravarem uma releitura de Juízo Final, do mestre da MPB Nelson Cavaquinho. A experiência se mostrou tão boa para o quarteto que eles resolveram gravar um disco, intitulado Almaz.

O trabalho sai inicialmente no próximo dia 27 no Japão e nos Estados Unidos, e em 14 de setembro na Europa. Ainda não há previsão de quando o disco chegará ao mercado brasileiro. O grupo mostrará covers de Tim Maia, Jorge Ben Jor, Marvin Gaye e Martinho da Vila em show no próximo dia 30 em Nova York.

 

Fonte: R7

Saem os indicados ao VMB (Video Music Brasil)

A MTV divulgou nesta sexta-feira (16) os concorrentes ao VMB (Video Music Brasil), prêmio promovido pela emissora musical. Entre os principais nomes na disputa, temos Pitty, Sandy, Restart, Capital Inicial, NX Zero e Mallu Magalhães. São 16 categorias, dedicadas a vários estilos musicais e também aos games e personalidades da internet.

A votação é feita pelo público através do site da MTV. A assessoria de imprensa informa que a expectativa é conseguir ultrapassar o número de votos obtidos em 2009, que segundo eles ficou em torno de dez milhões de votos.

A cerimônia de entrega dos troféus aos vencedores será realizada no dia 16 de setembro no Credicard Hall, com transmissão ao vivo pela emissora e apresentação a cargo de Marcelo Adnet.

 

Confira as principais categorias e quem concorre em cada uma delas

Artista do ano

Arnaldo Antunes, Capital Inicial, Fresno, Mallu Magalhães, NX Zero, Otto, Pitty, Restart, Sandy e Skank

Clipe do ano

Depois da Meia Noite (Capital Inicial), A Usurpadora (Cine), Tô Fazendo a Minha Parte (Diogo Nogueira), Shine Yellow (Mallu Magalhães), Meu Tambor (Marcelo D2), Papapa (Mombojó), Só Rezo (NX Zero), Recomeçar (Restart), Noites de Um Verão Qualquer (Skank) e Sem Nome (Vespas Mandarinas)

Show do Ano

Arnaldo Antunes, Capital Inicial, NX Zero, Otto e Pitty

Revelação

Hevo84, Hori, Karina Buhr, Replace e Restart

Rock

Capital Inicial, Glória, NX Zero, Pitty e Strike

 

Fonte: R7

A Volta da Diva

 

Gal Costa retoma a carreira fonográfica em grande estilo. O Novo CD da cantora será produzido por ninguém menos que o parceiro de estrada, Caetano, que vai dividir a responsabilidade com o filho Moreno Veloso.

O álbum será composto de faixas inéditas e deve ser lançado no início de 2011. Ainda este ano chega ao mercado uma caixa com todos os álbuns lançados por Gal, durante a sua permanência na gravadora Philips/Polygram.

Aos 64 anos, Gal Costa já vendeu mais de 2o milhöes de discos, ao longo da carreira.

 

Fonte: Lícia

Roberta Sá recebe DVD de ouro por "Pra se ter Alegria"

 

A cantora potiguar Roberta Sá acaba de receber o DVD de ouro, com vendagens superiores a 25 mil cópias, do trabalho "Pra se ter Alegria".

Lançado pela gravadora Universal Music em parceria com o Canal Brasil, o DVD traz no repertório canções como "O Pedido", "Samba de um Minuto", "Ah, se eu vou", "Pelas Tabelas", "No Braseiro" e "Alô Fevereiro".

O DVD contou com participações muito especiais dentre as quais Chico Buarque e do violonista Marcello Gonçalves em "Mambembe", de autoria de Chico Buarque; do cantor Ney Matogrosso e do Trio Madeira Brasil em "Peito Vazio", composição de Cartola e Elton Medeiros; do violonista Yamandú Costa, Antônio Zambujo e Ricardo Cruz em "Eu já não sei", música de Domingos Gonçalves e Carlos Gonçalves.

A produção musical de "Pra se ter Alegria" ficou a cargo de Rodrigo Campello e a direção das imagens foi responsabilidade de Gabriela Figueiredo e Gabriela Castal, da Samba Filmes.

 

Fonte: Teritório da Música

Lançamento da Semana em Portugal

Maria Bethânia e Omara Portuondo ao Vivo (DVD)

 

 

Cuba e Brasil juntos na música. Duas grandes expressões latinas do canto popular de seus países, Omara Portuondo e Maria Bethânia, se encontraram, pela primeira vez no palco para a turnê de lançamento do CD/DVD que gravaram juntas. A turnê passou por Brasil, Argentina e Chile entre março e junho deste ano.
Este encontro raro e único entre duas culturas tão intimamente ligadas pela mesma raiz, a África, põe lado a lado a musicalidade cubana e brasileira, sua proximidade e diferenças. Mostra a naturalidade musical latente tanto dos cubanos como dos brasileiros e como é fácil nos entender musicalmente. Traz nas canções, no cenário, na iluminação e nos músicos um pouco do que é Cuba e um pouco do que é Brasil.
O show tem a beleza da simplicidade e retrata as cores e o som do Brasil e de Cuba. Com solos individuais de Bethânia e Omara e interpretações juntas, tanto em português quanto em espanhol, o repertório do CD está quase todo no roteiro. As canções que gravaram juntas como Palabras (Marta Valdés), Palavras (Gonzaguinha), Você (Hekel Tavares e Nair Mesquita), Tal Vez (de Juan Formell, diretor do lendário grupo de música bailable Van Van, em son, ritmo base da música cubana), a bucólica Só Vendo Que beleza /Marambaia) (Rubens Campos e Henricão) - numa versão que vai do samba à salsa, com direito a uma deliciosa levada rap de Omara - e Para Cantarle A Mi Amor (Orlando De La Rosa) estão lá, mais algumas surpresas como Gente Humilde (Garoto, Vinicius de Moraes e Chico Buarque) vertida para o espanhol.
Em sua apresentação solo, Bethânia traz um repertório cheio de canções brasileiras, como A Bahia Te Espera (Chianca de Garcia e Herivelton Martins) e O Ciúme (Caetano Veloso), além de canções inéditas em sua voz como Havana-me, de Joyce e Paulo Cesar Pinheiro, e outras surpresas de Chico Buarque e Gonzaguinha e a inédita Doce, de Roque Ferreira. Já Omara vem com um repertório recheado de sucessos da canção cubana como os boleros Viente Años (Maria Tereza Vera), Lo Que Me Queda Por Vivir (Enrique Bunbury) e Dos Gardênias (Isolino Carillo).
O cenário de Gringo Cárdia e a iluminação de Maneco Quinderé refletem a cara do Brasil e de Cuba, com elementos comuns das duas culturas. Muitas cores, flores de chitas, lantejoulas, pássaros e fitas ilustrarão as características comuns dos dois países.
Pilotados por Jaime Alem e Swami Jr., maestros respectivamente de Bethânia e Omara, (ambos ao violão) estarão no palco com as duas damas: João Carlos Coutinho (piano), Jorge Helder (baixo), Cláudio Brito (percussão), Marcelo Costa (percussão) e o cubano Andres Coayo (percussão).
O DVD foi gravado nos dias 4 e 5 de abril, no Palácio das Artes, em Belo Horizonte. A direção é de Mario de Aratanha e a produção musical, de Moogie Canázio.

 

1- Cio da Terra
2- Cálix Bento
3- Gente Humilde
4- Partido Alto
5- Arrependimento
6- Negue
7- O Ciúme
8- Doce/A Bahia Te espera
9- Escandalosa
10- Cubanacan
11- Tal vez
12- Veinte Años
13- Mil Congojas
14- Nana Para Um Suspiro
15- Dos Gardênias
16- Lacho/Drume Negrita
17- La Sitiera/Guantanamera
18- Canto do Pagé/Três Golpes
19- Você
20 -Só Vendo Que Beleza (Marambaia)
21- Caipira de Fato / El Amor de Mi Bohio
22- Havana-Me
23- Começaria Tudo Outra Vez
24- O Que Será? (À Flor da Terra)
25- Palavras / Palabras

 

Fonte: Biscoito Fino

Festas na casa do Brasil sexta e sábado

Sexta-feira, 16 de Julho de 2010 às 22:00

Forró Universitário - Festa de final de curso

Música ao vivo - DJ set - Workshop de forró

 

sábado, 17 de Julho de 2010 às 23:00

Apresentamos a banda brasileira Poesia Samba Soul, envolvida no trabalho social, cultural e ecológico na Favela da Paz em São Paulo.

Muito groove, samba e hip-hop na Casa do Brasil!!!

 

Rua São Pedro de Alcântara, 63 - 1º dto Lx

Tão Sonhada!

Música nova do Eva nas rádios da capital baiana! Dando continuidade à divulgação do bem sucedido CD Lugar da Alegria, a banda lançou recentemente Tão Sonhada, uma composição de Saulo Fernandes e Gigi.

A canção traz o lado romântico que a banda sempre sobre balancear com o espírito festeiro. A escolha já foi aprovada pelos fãs e promete levar muita emoção aos shows do Eva.

 

Confira a baixo o vídeo da nova música, parte do DVD Lugar da Alegria.

 

Fonte: Axezeiro

Jammil e Uma Noites lança música inédita pelo Twitter

 

Os fãs da banda Jammil e Uma Noites que têm conta no Twitter poderão ouvir em primeira mão a nova música de trabalho do grupo através do micro-blog. A nova música tem o nome de “Blá Blá Blá” e será tocada pelos músicos ao vivo na próxima segunda-feira, 19, às 20h00.

Quem tiver cadastrado no Twitter os perfis de Tuca (@TucaFernandes), Manno (@_mannogoes) e Beto (@betoespinola) poderá ver o trio apresentando a música ao vivo através do serviço TwitCam.

 

Fonte: Território da Música

Blitz lança novo DVD ao vivo

 

Um dos grandes fenômenos musicais da década de 80, a banda Blitz, está com um novo trabalho ao vivo nas lojas (no Brasil), “Eskute & Veja Blitz”. Este novo lançamento chega às lojas em DVD e traz registrada a turnê de divulgação do álbum “Eskute Blitz”, disco de estúdio com canções inéditas lançado no ano passado.

São 22 músicas incluídas no DVD que traz um apanhado de sucessos antigos, como “A Dois Passos do Paraíso” e “Weekend”, e também canções mais recentes, como “Eu, Minha Gata e Meu Cachorro” e “Vida Mansa”.

Confira o repertório:

01. Weekend
02. Betty frígida
03. Eu, minha gata e meu cachorro
04. Última ficha
05. Mais uma de amor (geme, geme)
06. Voo cego
07. Zero absoluto
08. O romance da universitário otária
09. Skut
10. Baseado em Clarice
11. Reggae do avião
12. O homem de avental
13. A dois passos do paraíso
14. Vida mansa
15. Nuvens
16. Adão e Eva
17. Corações na calça jeans
18. O garoto sonha
19. Perdidos na selva
20. Biquini de bolinha amarelinho tão pequenininho
21. Todas as respostas
22. Você não soube me amar

 

Fonte: Território da Música

O baú de Alcione

 

 

Pérolas raras e inéditas de Alcione são reveladas no valiosíssimo CD O samba raro de Alcione - Sabiá marrom. Produção pilotada por Rodrigo Faour e lançada pela Universal Music, o disco revira o baú da gravadora e revela sobras de estúdio, participações e faixas lançadas apenas em compactos ou álbuns coletivos.

A compilação traz músicas gravadas entre 1972 e 1981. Os três primeiros anos flagram uma cantora ainda sem rótulos. Alcione vinha diplomada pela variada escola da noite. Roberto Menescal, então diretor artístico da gravadora Philips/Phonogram, já enxergava em Alcione a grande sambista. Mas a cantora, acostumada a fluir bem em vários estilos, pode surpreender até mesmo cantando Planos de papel, bossa de Raul Seixas para a trilha sonora da novela O Rebu, de 1974. Que casa bem com o samba-canção Linda flor (Ai, Ioiô), do LP Máximo de sucessos nº 11, do mesmo ano.

De seu primeiro compacto, editado em 1972 para testar a nova artista, aparecem O sonho acabou, composição de Gilberto Gil lançada naquele mesmo, e Liga de guiné, parceria de Reginaldo Bessa com o então também estreante Nei Lopes. De outro compacto, três anos mais tarde, Alcione aparece já mais próxima do universo que a consagrou cantando Os melhores sambas enredo de 1975 com músicas defendidas naquele ano por escolas como Salgueiro, Mangueira, Padre Miguel e São Carlos. Um terceiro compacto, lançado no mercado latino em 1980, traz versões em espanhol para O surdo e o grande sucesso Sufoco.

O CD tem três gravações inéditas. Homenagem do compositor francês Paul Mauriat para a cantora, Sabiá marrom ganhou letra em português de Totonho e Paulinho Rezende. Foi gravada por Alcione em 1979, mas acabou não entrando no LP daquele ano e aqui abre o CD. Também inéditas são Pôr do sol (1980) e a impagável Não suje o meu caixão (1975).

No final do álbum aparecem duetos de Alcione. O delicioso encontro com João Nogueira em 1981 traz o sucesso de Noel Rosa De babado, com direito a divertido caco da dupla na letra. Três anos antes Alcione dividia com Chico Buarque O casamento dos pequenos burgueses, tema da Ópera do Malandro. Em 1980 foi a vez de cantar com Leci Brandão em Fim de festa, parceria de Leci com Rosinha de Valença.

Além de trazer ao público gravações inéditas e esquecidas, o encarte traz minuciosa pesquisa de Faour, com texto explicativo, referências e até mesmo capas e selos dos discos em que foram lançadas as músicas. Revelando a pré historia e os primeiros anos de sucesso da sambista, o CD valoriza Alcione como grande cantora. Não só de sambas - como é normalmente lembrada de forma reduzida - mas do que quiser e bem entender.

 

Fonte: ZiriGuidum

Carlinhos Brown divulga música em homenagem ao título da Espanha

O cantor, compositor, produtor e multi-instrumentista Carlinhos Brown divulgou neste domingo uma música inédita em homenagem à vitória da seleção espanhola, campeã da Copa do Mundo após vencer a Holanda por 1 a 0 na prorrogação.

A canção, intitulada "Campeones del Amor" e cantada em português e espanhol, foi publicada neste domingo pelo Twitter de Carlinhos Brown. O cantor baiano aproveitou para comemorar o título inédito da seleção espanhola.

Para ouvir a música, acesse este site e clique em "Download Now".

Carlinhos Brown é conhecido na Europa como "Carlito Marrón", tem uma carreira internacional extensa, com shows por França, Portugal, Itália, Estados Unidos, China, Espanha, entre outros países, inclusive com participação no Rock in Rio Madrid, em 2008.

 

Fonte: Folha Online

Gravações de Carmen Miranda ganham arranjos atuais

A voz da cantora é acompanhada por instrumental gravado com a tecnologia moderna

Carmen Miranda nasceu em Portugal e fez fama no Brasil e no exterior

Carmen Miranda foi a primeira estrela pop do Brasil. Não importa que tenha nascido em Portugal e que tenha sido atacada por ter se americanizado. Uma grande bobagem.

Pensando em atualizar o som das gravações de Carmem, a maioria feita na década de 30, em estúdios e condições longe da perfeição até mesmo para a época, o violonista e cavaquinista Henrique Cazes resolveu gravar novas bases instrumentais e colocar os vocais e backing originais de Carmem.

Tudo isso sem inventar ou modificar nada. O resultado está no CD Carmem Miranda Hoje, lançado pela Biscoito Fino.

São 12 faixas nas quais a tecnologia tentou melhorar a qualidade das gravações de um dos ícones da nossa música. Cordas, percussão e sopros deram outro peso aos registros, embora nem sempre em harmonia com o registro vocal.

As letras contidas no encarte são imprescindíveis para entender o que é cantado em algumas faixas. Mas, claro, mesmo assim são registros superiores a qualquer original de Carmen, pelo menos em termos de qualidade de som.

 

Com seu timbre de voz vivo, a Pequena Notável desfila seu talento em sambas como ...E o Mundo Não se Acabou (preferida de grandes artistas como Paula Toller e outras não tão grandes, como Sandy), Minha Terra tem Palmeiras e a sempre presente No Tabuleiro da Baiana.

Além das canções há duas faixas bônus: uma entrevista com Ruy Castro (biógrafo da artista) e Henrique Cazes (que também produziu o CD) e um vídeo de Querido Adão. Cerejas de um bolo que já roda por mais de 80 anos e continua saboroso.

 

Fonte: R7

Descoberta letra inédita de Vinicius de Moraes

 

No dia que marca os 30 anos de sua morte, os herdeiros do poeta Vinicius de Moraes descobriram uma letra inédita deixada por ele.

Segundo reportagem do telejornal Bom Dia Brasil, da Globo, a canção se chama Silêncio e já está sendo musicada por Edu Lobo, amigo e grande parceiro de Vinicius.

Em um dos trechos, o poeta que amava as mulheres e falou de amor em seus versos, escreve: "É o amor que te fala / É o amor que se cala / E que despetala / A flor do silêncio".

 

Fonte: Terra Música

Saiba um pouco da trajetória de Cazuza, o poeta que se foi há 20 anos

 

Os ventos do dia 4 de abril de 1958 serviram de cenário para que viesse ao mundo uma criança que recebeu, em homenagem ao avô paterno, o nome de Agenor de Miranda Araújo Neto. Mas antes de nascer, o garoto recebeu do pai o apelido que o Brasil inteiro o conheceu: Cazuza.

O período que se estende entre a infância e adolescência de Caju - um dos codinomes de Cazuza - foi cercado por um bom ambiente familiar. Como era filho único, teve sobre si toda atenção e carinho dos pais.

Boas escolas e incentivo nunca faltaram. Ele chegou a começar cursar Comunicação Social, mas abandonou as aulas em menos de um mês, pois, o que realmente desejava era viver intensamente.

Cazuza tentou seguir diversas carreiras como fotógrafo, ator e divulgador musical de uma gravadora. Mas foi através do amigo Leo Jaime que Caju foi apresentado aos integrantes de um grupo de rock que ainda estava em formação.

 
O ano era 1981 quando Cazuza (voz) se juntou a Guto Goffi (bateria), Dé (baixo), Maurício Barros (teclados) e Roberto Frejat (guitarra) e decretou então a formação original do Barão Vermelho. Durante quatro anos o quinteto permaneceu junto. O grupo lançou três discos, que serviram de suporte para obras que hoje são clássicos da música brasileira como, por exemplo, "Por que A Gente é Assim?", "Todo Amor Que Houver Nesta Vida" e "Carne De Pescoço".

 

Em julho de 1985, após várias brigas internas, Cazuza deixa o Barão e logo levanta o vôo da carreira solo. Pouco depois de sair do grupo, o artista descobriu ser soropositivo. Começou então a sua luta contra a doença degenerativa e a urgência em imortalizar sua arte. Em um período de cinco anos, o poeta lançou cinco álbuns e formou diversas parcerias musicais. Explorou sua versatilidade musical e gravou temas que vão do pop ao blues, passam pela bossa-nova e navegam pelo rock.

Na manhã do dia 7 de julho de 1990, aos 32 anos, Cazuza faleceu em razão das complicações decorrentes da AIDS. Uma das principais características de seu peculiar estilo de composição é a presença de uma poesia que denunciava uma sociedade traiçoeira, competitiva e de futuro duvidoso. De maneira póstuma, foram lançados três trabalhos sendo que um deles é um registro que sintetiza as apresentações do Barão na primeira edição do Rock in Rio, em janeiro de 85.

A seguir alguns dos melhores momentos da curta, porém intensa carreira do poeta que há 20 anos deixou a música brasileira orfã.

Pro Dia Nascer Feliz
Esta canção inicialmente fez sucesso graças a versão do cantor Ney Matogrosso, registrada no disco "...Pois É", de 1983. Mas pouco tempo depois a versão do Barão ganhou as FM's e vitrolas dos roqueiros da época e levou de uma vez por todas os holofotes para a dupla Frejat/Cazuza. "O Ney foi nossa fada madrinha", dizia Cazuza sobre o fato de a música ter se tornado conhecida por meio da interpretação de Ney. Com esta canção o Barão encerrou a histórica apresentação na primeira edição do festival Rock In Rio, em janeiro de 1985.

Bete Balanço
Em 1984 o Barão foi convidado para escrever a música tema de um filme dirigido por Lael Rodrigues. Mais uma vez a dupla Frejat/Cazuza entra em ação e dá vida a canção que recebeu o mesmo nome que o longa: "Bete Balanço". De quebra, os Barões participaram do filme que teve no elenco Débora Bloch, Lauro Corona, Diogo Vilela, entre outros.

Exagerado
Em 1985, após uma conturbada saída do Barão Vermelho, Cazuza lançou Exagerado, o seu primeiro trabalho solo. A faixa título do álbum tournou-se um cartão de visitas do artista e até hoje é tocada nas rádios e rodinhas de violão.

O Nosso Amor a Gente Inventa (Uma Estória Romântica)
O disco Só se For a Dois, lançado em 1987, apresenta um lado romântico assumido de Caju. Surgem novas parcerias musicais e as letras ganham um conteúdo mais maduro, isto é, Cazuza passa a escrever sobre temas que vão além do cenário da vida noturna do Rio de Janeiro.

Brasil
Munido com uma poesia ácida, Cazuza fez esta canção e vociferou contra as falcatruas que tomavam conta da nação no final dos anos 80. Passados tantos anos há quem acredite que a situação, ilustrada neste samba rock, não está muito diferente neste país.

O Tempo Não Pára
Inspirado no discurso apocalíptico de Bob Dylan, Cazuza escreveu, em parceria com Arnaldo Brandão, esta música que tornou-se hino de toda uma geração. A canção apresenta na letra a realidade de um povo que vive esmagado no terceiro mundo, onde há riquezas concentradas nas mãos de poucos e pobreza (principalmente financeira e intelectual) distribuída para uma grande maioria.

 

Fonte: Cifra Club

Chama da Paixão!

 

A cantora Alinne Rosa está de férias, mas as novidades da banda Cheiro de Amor seguem com força total. Após alguns meses de produção, o grupo lançou hoje o clip da música Chama da Paixão, canção de Serginho Fernandes [Chica Fé].

O vídeo foi gravado no mês de março no heliponto do Salvador Trade Center, contando com a direção de Fred Soares, que é também responsável pelo novo DVD Axé Mineirão, com previsão de lançamento para esse mês de julho. As filmagens duraram quase um dia inteiro e contou com um quarteto de cordas junto com a banda.

Neste novo projeto é passado o conceito de simplicidade, música e beleza. Aline aparece bastante à vontade, vestida de branco.

 

 

Fonte: Axezeiro

Fiuk, Luan Santana, Cine e Restart indicados ao Prêmio Multishow 2010

Já foram divulgados os indicados ao Prêmio Multishow 2010, que acontece no dia 24 de agosto.

As categorias deste ano são: Melhor Música, Melhor Álbum, Melhor Clipe, Melhor DVD, Melhor Cantora, Melhor Show, Melhor Grupo, Melhor Cantor, Artista Revelação, Melhor Instrumentista, além de duas categorias inéditas, Melhor Artista Sertanejo e Experimente, que abre espaço para novos artistas.

Você pode votar diretamente no site oficial da premiação.

 

Confira abaixo os indicados a cada categoria:

 

Melhor Música

As Máscaras - Claudia Leitte
Entreolhares Ana Carolina & John Legend
Espero a minha vezNXZero
Me adoraPitty
MeteoroLuan Santana
Na base do beijoIvete Sangalo
RecomeçarRestart
ShimbalaiêMaria Gadú
SutilmenteSkank
Voa beija-florJorge & Mateus

Melhor Álbum

Sete ChavesNXZero
Multishow Registro Ivete Sangalo Pode EntrarIvete Sangalo
Ao VivoLuan Santana
Maria GadúMaria Gadú
AcústicoDetonautas
HiperativoStrike
O mundo é Tão PequenoJorge & Mateus
HoriHori
The Rise and Fall of BeeshopLucas Silveira
ChiaroscuroPitty

Melhor Clipe

Espero a minha vez NXZero
RecomeçarRestart
EntreolharesAna Carolina & John Legend
Segredo Hori
Na base do beijo Ivete Sangalo
A Usurpadora Banda Cine
Desde Quando Você Se FoiFresno
Me adora Pitty
Noites de Um Verão QualquerSkank
Pode AcreditarMarcelo D2 & Seu Jorge

Melhor DVD

Multishow Registro NXZero - Sete ChavesNXZero
Multishow Registro Ivete Sangalo – Pode EntrarIvete Sangalo
Luan Santana ao VivoLuan Santana
Acústico Detonautas Roque Clube
O mundo é tão pequeno Jorge & Mateus
Multishow Registro Ana Carolina – 9 + 1 Ana Carolina
Do outro lado da porta - Fresno
Chiaroscope Pitty
Ao vivo e Em Cores Victor e Léo
Seu Jorge ao vivo América Brasil, o DVDSeu Jorge

Melhor Cantora

Ana Carolina
Claudia Leitte
Ivete Sangalo
Maria Gadú
Maria Rita
Marisa Monte
Pitty
Sandy
Vanessa da Mata
Wanessa

 

Melhor Show

NXZero
Ivete Sangalo
Restart
Luan Santana
Fresno
Hori
Claudia Leitte
Raimundos (com Tico Santa Cruz)
Victor & Léo
Vanessa da Mata

Melhor Grupo

Banda Cine
Detonautas Roque Clube
Fresno
Hori
Jota Quest
NXZero
Restart
Skank
Strike
Titãs

Melhor Cantor

Caetano Veloso
Di Ferrero
Dinho Ouro Preto
Fiuk
Lucas Silveira
Rogério Flausino
Samuel Rosa
Saulo Fernandes
Tico Santa Cruz
Zeca Pagodinho

 

Artista Revelação

Restart
Hevo 84
Luan Santana
Maria Gadú
Hori
Paula Fernandes
Stevens
Lu Alone
Tiê
Etna

Melhor Instrumentista

Daniel Weksler – NXZero
Joe – Pitty
Gee Rocha – NXZero
Renato Rocha – Detonautas
Haroldo Ferretti – Skank
Letieres Leite – Ivete Sangalo
Cadu – Strike
Rodrigo Tavares – Fresno
Xande Bispo – Hori
Cesinha – Maria Gadú e Vanessa

Melhor Artista Sertanejo

Cesar Menotti & Fabiano
Chitãozinho & Xororó
Fernando & Sorocaba
Hugo Pena & Gabriel
João Bosco & Vinicius
Jorge & Mateus
Luan Santana
Maria Cecília & Rodolfo
Victor & Léo
Zezé di Camargo & Luciano

Experimente

Brasov
Cidadão Instigado
Copacabana Club
Edu Krieger
Lucas Santtana
Móveis Coloniais de Acaju
Nina Becker
Preta Gil
Replace
Stop Play Moon

 

Fonte: Vírgula Música

Maria Bethânia é líder de indicações ao Prêmio da Música Brasileira

A cantora Maria Bethânia é a artista com maior número de indicações nas categorias da nova edição do Prêmio da Música Brasileira. A lista com os nomes dos indicados foi divulgada nesta segunda-feira, 05, e conta com 105 nomes distribuídos em 16 categorias.

Os artistas concorrentes foram escolhidos depois de uma seleção feita com 695 álbuns e 103 DVD inscritos. A cerimônia de entrega dos prêmios será realizada no dia 11 de agosto, no palco do Theatro Municipal do Rio de Janeiro. A sambista Dona Ivone Lara foi a escolhida pelos organizadores para ser a artista homenageada na edição deste ano.

Maria Bethânia participa com dois discos e sete indicações. Com o álbum “Encateria” Bethânia concorre como melhor disco, melhor cantora de MPB, melhor projeto visual, melhor cantora no voto popular e duas músicas como melhor canção. De seu álbum “Tua” a cantora concorre em melhor canção com uma das faixas.

O segundo artistas com maior número de indicações é Ney Matogrosso, com o disco “Beijo Bandido”. Ney aparece nas categorias melhor disco, melhor cantor de MPB, melhor cantor no voto popular e melhor projeto visual. Em seguida vêm os artistas com três indicações: Zeca Baleiro, Rita Ribeiro, João Bosco, Zélia Duncan, Caetano Veloso, Mario Adnet e Phillippe Baden Powel, e Hamilton de Holanda e Yamandu Costa.

A votação nas categorias de melhor cantor e cantora no voto popular começam no próximo dia 08 e podem ser feitas através do site oficial da premiação: www.premiodemusica.com.br/2010.

Abaixo a lista com os indicados ao Prêmio da Música Brasileira 2010:

CATEGORIA ARRANJADOR
Arranjador
• Mario Adnet por Afro Samba Jazz- A Música de Baden Powell - Mario Adnet e Philippe Baden Powell
• Maurício Carrilho por Brasileiro Saxofone - Nailor Proveta
• Philippe Baden Powell por Afro Samba Jazz - A Música de Baden Powell - Mario Adnet e Philippe Baden Powell

CATEGORIA CANÇÃO
Melhor Canção
• Encanteria (Paulo César Pinheiro) - CD Encanteria, de Maria Bethânia
• Feita na Bahia (Roque Ferreira) - CD Encanteria, de Maria Bethânia
• Saudade (Chico César e Paulinho Moska) - CD Tua, de Maria Bethânia

CATEGORIA PROJETO VISUAL
• Manacá, disco Manacá - Retina 78
• Maria Bethânia, disco Encanteria - Gringo Cardia
• Ney Matogrosso, disco Beijo Bandido - Ocimar Versolato

CATEGORIA REVELAÇÃO
• Alexandre Gismonti Trio
• Letieres Leite e Orkestra Rumpilezz
• Maria Gadú

CATEGORIA CANÇÃO POPULAR
Melhor Disco

• Autorretrato, de Kleiton e Kledir
• Tecnomacumba a Tempo e ao Vivo, de Rita Ribeiro
• O Coração do Homem-Bomba ao Vivo Mesmo, de Zeca Baleiro

Melhor Dupla
• Edson e Hudson (Despedida)
• Victor & Leo (Ao Vivo e em Cores em São Paulo)
• Zezé Di Camargo & Luciano (Duas Horas de Sucesso ao Vivo)

Melhor Grupo
• DNA (Pode Acreditar)
• San Marino (Simples, mas Autêntico)
• Trilogia (Jogatina)

Melhor Cantor
• Cauby Peixoto (Cauby Interpreta Roberto)
• Fagner (Uma Canção no Rádio)
• Zeca Baleiro (O Coração do Homem-Bomba ao Vivo Mesmo)

Melhor Cantora
• Patricia Mellodi (Pacote Mais que Completo)
• Paula Fernandes (Pássaro de Fogo)
• Rita Ribeiro (Tecnomacumba a Tempo e ao Vivo)

CATEGORIA INSTRUMENTAL
Melhor Disco
• Saudade do Cordão, de Guinga e Paulo Sérgio Santos
• Afro Samba Jazz - A Música de Baden Powell, de Mario Adnet e Philippe Baden Powell
• Luz da Aurora, de Yamandú Costa e Hamilton de Holanda

Melhor Solista
• Altamiro Carrilho (Primeira Noite em Niterói/Segunda Noite em Niterói)
• Hamilton de Holanda (Luz da Aurora)
• Yamandú Costa (Luz da Aurora)

Melhor Grupo
• João Donato Trio (Sambolero)
• Letieres Leite e Orkestra Rumpilezz (LetieresLeite e OrkestraRumpilezz)
• Rabo De Lagartixa (O Papagaio do Moleque)

CATEGORIA MPB
Melhor Disco
• Não Vou Pro Céu mas Já Não Vivo no Chão, de João Bosco
• Encanteria, de Maria Bethânia
• Beijo Bandido, de Ney Matogrosso

Melhor Grupo
• 4 Cabeça (4 Cabeça)
• Escambo (Flúor)
• Fausto Prado e Caetano Silveira (Cidade Baixa)

Melhor Cantor
• João Bosco (Não Vou Pro Céu mas Já Não Vivo no Chão)
• Ney Matogrosso (Beijo Bandido)
• Zé Renato (Zé Renato ao Vivo)

Melhor Cantora
• Maria Bethânia (Encanteria)
• Nana Caymmi (Sem Poupar Coração)
• Roberta Sá (Pra se Ter Alegria)

CATEGORIA POP/ROCK/REGGAE/ HIP HOP/FUNK
Melhor Disco
• Zii e Zie, de Caetano Veloso
• Rock'n'Roll, de Erasmo Carlos
• Pelo Sabor do Gesto, de Zélia Duncan

Melhor Grupo
• Móveis Coloniais de Acaju (C_Mpl_Te)
• Mundo Livre S/A (Combat Samba)
• Paralamas do Sucesso (Brasil Afora)

Melhor Cantor
• Caetano Veloso (Zii e Zie)
• Ed Motta (Piquenique)
• Lulu Santos (Singular)

Melhor Cantora
• Céu (Vagarosa)
• Daniela Mercury (Canibália)
• Zélia Duncan (Pelo Sabor do Gesto)

CATEGORIA REGIONAL
Melhor Disco
• Alma Cabocla, de Ana Salvagni
• Viva Elpídio, de Oswaldinho e Marisa Viana
• Violas de Bronze, de Siba e Roberto Corrêa

Melhor Dupla
• Chitãozinho e Xororó (Se For pra Ser Feliz)
• Gino e Geno (Pode Chamar Nóis)
• Rodrigo Sater e Yassír Chediak (Tiago e Juvenal - Os Violeiros da novela Paraíso)

Melhor Grupo
• Frevo Diabo (Frevo Diabo)
• Luciano Maia e Quarteto Riograndense (Encomenda)
• Trio Virgulino (Isso Aqui Tá Bom Demais)

Melhor Cantor
• Gaúcho da Fronteira (Gaúcho Doble Chapa)
• Juraildes da Cruz (Roda Gigante)
• Targino Gondim (Canções de Luiz)

Melhor Cantora
• Claudia Cunha (Responde à Roda)
• Elba Ramalho (Balaio de Amor)
• Patrícia Bastos (Eu Sou Caboca)

CATEGORIA SAMBA
Melhor Disco

• Chutando o Balde, de Nei Lopes
• Tantinho Canta Padeirinho da Mangueira, de Tantinho
• Preceito, de Toninho Geraes

Melhor Grupo
• Casuarina (MTV Apresenta Casuarina)
• Galocantô (Lirismo do Rio)
• Sandália de Prata (Samba Pesado)

Melhor Cantor
• Moyseis Marques (Fases do Coração)
• Tantinho (Tantinho Canta Padeirinho da Mangueira)
• Zeca Pagodinho (Uma Prova de Amor ao Vivo - Especial MTV)

Melhor Cantora
• Alcione (Acesa)
• Aline Calixto (Aline Calixto)
• Luiza Dionizio (Devoção)

FINALISTAS - ESPECIAIS
DVD
• Luz Negra - Fernanda Takai
• BandaDois - Gilberto Gil
• Multishow ao Vivo - Vanessa da Mata

Disco Língua Estrangeira
• Beatles 69 Vol. 01, 02 e 03 - Vários artistas
• Songs 4 U - Daniel Boaventura
• Tributo a Ella Fitzgerald - Jane Duboc e Vitor Biglione

Disco Erudito
• Debussy - Nelson Freire
• Shumann Sinfonia nº 2 Sinfonia nº 4 - Osesp
• Villa-Lobos - Um Clássico Popular - Quinteto Villa-Lobos

Disco Infantil
• Partimpim Dois - Adriana Partimpim
• Pequeno Cidadão - Arnaldo Antunes, Edgard Scandurra, Antonio Pinto e Taciana Barros
• Projeto Guri Convida - Projeto Guri – Vários artistas

Disco Projeto Especial
• Entre Amigos - Dolores Duran
• O Baile do Simonal - Vários artistas
• Ataulfo Alves - 100 Anos - Vários artistas

Disco Eletrônico
• Essa Moça Tá Diferente - DJ Zé Pedro
• Organismo Eletrônico - Pedra Branca
• Ultrasom - Siri

VOTO POPULAR
Cantor
Caetano Veloso
Cauby Peixoto
Ed Motta
Fagner
Gaúcho da Fronteira
João Bosco
Juraildes da Cruz
Lulu Santos
Moyseis Marques
Ney Matogrosso
Tantinho
Targino Gondim
Zé Renato
Zeca Baleiro
Zeca Pagodinho

Cantora
Alcione
Aline Calixto
Céu
Claudia Cunha
Daniela Mercury
Elba Ramalho
Luiza Dionizio
Maria Bethânia
Nana Caymmi
Patricia Bastos
Patricia Mellodi
Paula Fernandes
Rita Ribeiro
Roberta Sá
Zélia Duncan

 

Fonte: Território da Música

Rutera do Brasil

 

O nome rutera vem da palavra inglês roots, cujo significado é raízes, estilo de reggae que a banda toca com sua original essência nas letras e sempre inovando na parte instrumental, levando palavras de sabedoria às pessoas através de uma música suave e dançante. A banda surgiu distante do embalo do mar, no meio das montanhas, no coração da Serra Gaúcha, mas entoando o mais autêntico Reggae dUb Roots – temperado por influências como funk, blues, soul, jazz, samba e black music em geral. 

Em julho de 2009 gravou seu primeiro álbum, totalmente independente, intitulado Fogo do Criador (livre para download-ver abaixo. O disco contém 10 faixas, sendo que uma delas é uma versão da música Slavery Days, da lenda viva do reggae Burning Spear, autorizada pelo próprio.
Entre os meses de julho e agosto de 2009 a Rutera seguiu numa turnê de seis shows pelas Ilhas de Cabo Verde na África, onde tocou nas melhores casas noturnas como Cock Pit (Praia-Ilha de Santiago), Birimbau (Santa Maria Beach-Ilha do Sal), MindelHotel (Mindelo-Ilha de São Vicente). O show Fogo do Criador com sua mensagem de fé, chegou a reunir mais de 10 mil pessoas em Cabo Verde para assistir a banda brasileira, aclamada pela imprensa local como a grande atração internacional no Festival de Curraletes (Porto Novo-Santo Antão). As 10 faixas do cd encantaram o povo além mar e a música Compreender virou hit por onde a banda passou, confirmando que o reggae é universal. 
Em 2010, Rutera está produzindo seu segundo Cd "DoInterior"e prepara-se para seu segundo giro internacional pela Argentina em agosto. A banda planeja em breve mostrar seu trabalho na Europa.
 
 
Enviado por Ismael de Lima

Delta Tejo: Revelação, Martinho da Vila e Asa de Águia

 

Os brasileiros Grupo Revelação iniciavam à mesma hora a sua actuação no Palco Delta. O pagode carioca do sexteto veio com uma missão: pôr toda a gente a saltar e a dançar. E cumpriram-na. Uma massa de público bem mais imponente que a de sábado, decorada a amarelo e verde fez a festa em todo o lado, bem entusisasmada por Xande de Pilares, o incansável vocalista que durante uma hora e meia mostrou ser o anfitrião perfeito. Via-se muita poeira pelo ar, sinal de que o público estava extremamente receptivo e disposto a entregar-se aos ritmos do Brasil.


Quando Martinho da Vila subiu ao palco, era óbvio que muito do público estava ali para si. Quarenta anos de carreira que só lhe dão classe e muita segurança em palco, sempre entre sorrisos que distribui incessantemente para a plateia, que lhe respondia com os braços no ar, constantes ovações e, obviamente, a dançar. Que melhor resposta para o samba tão urbano de Martinho da Vila do que dançar? Nem se pede outra coisa perante uma carreira já tão longa e consistente, principalmente quando o próprio faz o apelo de que «toda a gente tem que dançar do jeito que pode, valeu?». Saiu sob fortes aplausos e pedidos de «mais uma» e com vontade de voltar brevemente.

Para fechar em chave de ouro e sem deixar a poeira assentar, chegavam os Asa de Águia. O colectivo baiano de axé tomou de rompante o palco para euforia geral. Em todo o recinto, fosse a zona VIP ou uma fila para comer, toda a gente queria acabar a noite como começou: com os braços no ar, os pés fora do chão e muita poeira no ar. Bastante eléctricos e incansáveis na percussão, os Asa de Águia arrebataram o muito público presente, fechando em grande festa e nota positiva esta edição do Delta Tejo.
-----

De volta ao ponto principal do recinto, o Grupo Revelação, um dos nomes mais aguardados pelos presentes, trouxe o seu pagode carioca e conseguiu facilmente por a mancha humana verde e amarela a saltar e a dançar. Ao leme do barco de poeira estava o incansável vocalista Xande de Pilares que não teve dificuldades em comandar a plateia receptiva e disposta a entregar-se aos sons do Brasil.

O momento mais tranquilo da noite veio com a classe de Martinho da Vila. O simpático patriarca do bossa-nova brasileiro atraiu muitos milhares com a segurança dos seus 40 anos de carreira, conquistando com a afabilidade que lhe é conhecida. Braços no ar, sorrisos e muitas palmas foram as retribuições da audiência que fez um coro consistente no samba urbano de “Mulheres” já na recta final.

Coube aos Asa de Águia fechar a 4ª edição do festival Delta Tejo, proporcionando uma festa de arromba aos milhares de resistentes e levantando a maior nuvem de pó deste fim-de-semana. Muito eléctrica e imparável na percussão, a banda baiana arrebatou a plateia numa autêntica noite de Verão.

 

-----

 

 

«Olá Brasil» foi a frase que apresentou o grupo Revelação. A partir daí a poeira soltou-se do chão e o pessoal nunca mais parou de sambar. Principalmente com o tema «A Paixão Me Pegou» acompanhada no geral.

Os casais dançaram bem como as donas de calções curtos que davam batida à anca. O que continuou com o senhor que seguiu.

Martinho da Vila estendeu o samba ao patamar mais adulto do panorama musical brasileiro. «Aqui estou que nem casa» destacou-se na letra do tema «Casa de Bamba», entuado acapela à entrada do seu espectáculo. Seguiu-se «Canta Canta, Minha Gente» inciada pelo cavaquinho.

«Devagar, Devagarinho» e «Mulheres», uma das mais pedidas da noite, foram elementos do trabalho que Martinho disse ter sido feito por todos, desde a equipa de som ao público. O último tema referido foi completamente liderado pelos presentes.

Mesmo assim, muitas pessoas desistiram de ver Batida para apoiarem os cabeça de cartaz Asa de Águia. Junto ao palco principal o entusiasmo subiu até aos níveis mais altos com esta banda, muito aclamada desde os primeiros segundos.

Os tambores e as guitarras de uma faceta mais Rock do que as bandas anteriores, serviram como rebuçados para todos os que ocorreram ao recinto, que no último dia do evento chegaram a ser 20 mil pessoas.

 

Fonte: Cotonete   Destak   IOL Música

Ana Carolina sai em lágrimas do Porto

Foi com uma sala cheia que Ana Carolina se emocionou, anteontem, sexta-feira, à noite, mais do que uma vez, no Coliseu do Porto, durante um espectáculo que assinala os 10 anos de carreira (que completou em 2009).

A brasileira, acompanhada por quatro excelentes músicos, encantou e deixou cantar, desafiou os músicos, primeiro com guitarra a tocar ao lado do guitarrista, e mais tarde com dois músicos de cada lado e ela no meio, num samba de pandeiros. E mostrou as suas potencialidades e versatilidade: tocou violão, piano, guitarra e pandeiro. Sempre muito expressiva, sentindo cada palavra que entoa e cada música que toca.

Começou com “10 minutos”, prosseguindo com “hoje eu tô sozinha”, temas bem conhecidos da assistência que a acompanhava e não se cansava de aplaudir. E ela agradeceu: “Boa noite! Que lindo! Que lindos! Muito obrigada por tudo. Cantem comigo”. E o público cantou.

Incendiou a plateia quando se sentou ao piano para interpretar “É isso aí”, um dos seus grandes sucessos, mas nem por Seu Jorge não estar presente o público esmoreceu.  Sempre a cantar, a bater palmas, ora sentado ora de braços no ar, ou em pé e a dançar, a sala vibrou. E Ana Carolina deixou o aviso: “acho que vou me mudar para o Porto”.

 Interpretou ainda alguns dos seus maiores sucessos como “Cabide” (“uma das músicas que mais gosto”, disse ela), ”Pra rua me levar”, “Rosas”, “Quem de nós dois”, “Entreolhares” e “8 histórias. E deixou a promessa de voltar em breve.

Ao fim de hora e meia de espectáculo, pediram o inevitável “bis” e ela regressou. Para terminar em beleza com mais um sucesso e sair a correr, emocionada.

 

Fonte: Jornal de Notícias