Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Música do Brasil

Música do Brasil

Ivan Lins se apresenta no Casino de Estoril, em Portugal

O cantor e compositor brasileiro Ivan Lins vai se apresentar ao lado da norte-americana Jane Monheit, em 31 de março, no Cassino de Estoril, na região de Lisboa.

Jane Monheit, 32 anos, estreia no palco do Salão Preto e Prata apresentando o seu mais recente álbum, "The lovers, the dreamers and me", lançado em janeiro, além de interpretar temas de Lins.

A cantora norte-americana lançou, em 2007, o álbum "Surrender", que demonstra fortes influências da música brasileira.

Lins lançou em 2007 "Saudades de casa", mas no palco do cassino apresentará também temas do álbum, "Acariocando", editado em 2006, quando completou 35 anos de carreira.

Com mais de 30 álbuns, Ivan Lins teve o seu primeiro sucesso com "Madalena" e logo a seguir "O amor é o meu país", "Desesperar jamais" e "Aos nossos filhos".

O compositor realiza regularmente turnês pelos EUA, Japão e Europa. O mercado norte-americano, e com este o internacional, surgiu em 1979, após um convite de Quincy Jones.

Sarah Vaughan, Ella Fitzgerald, Carmen McRea, Manhatten Transfer e George Benson começaram a cantar as suas canções, que foram visitadas mais recentemente por Barbra Streisand, Sting e Jane Monheit.

Sobre a sua música, Ivan Lins afirmou à Agência Lusa que "é cada vez mais eclética". "Não parei no tempo, acompanho tudo, sou fascinado pelas coisas novas, gosto de misturar a música eletrônica com a acústica, de experimentar e ver o que vai dar. Sou uma grande salada".

 

Fonte: Lusa

«Infinito Ao Meu Redor», Marisa Monte

Marisa Monte como, provavelmente, nunca a conhecemos. Mais do que a música, é a mulher que aqui está em causa. Um manifesto de inteligência ao serviço da arte.

Cada músico tem a sua própria visão do «universo ao seu redor» que pode ser infinito e particular, ou não. Marisa Monte nunca facilitou e mesmo com dois discos belíssimos na estrada («Universo Ao Meu Redor» e «Infinito Particular») preferiu expor a alma.

Mais do que as canções, mais do que as viagens, é a pessoa Marisa Monte que está aqui em causa. E essa é digna de, pelo menos, um convite para um encontro na esplanada mais bonita de Lisboa. É raro encontrar tanta inteligência posta ao serviço da arte.

Pode ser tão excitante ouvi-la cantar como vê-la a lavar a roupa na banheira do hotel. Mas quantos artistas seriam capazes de tornar um momento tão privado e, ao mesmo tempo, desinteressante num acto tremendamente sexy? Não haja dúvidas que esta é também uma forma de prender a atenção do espectador.

Agora, o que é mais importante no meio desta história toda é o profissionalismo de Marisa Monte e esse é inexcedível. A promoção, os concertos, a comunicação, o marketing; está lá tudo exposto sem tirar nem pôr. Uma boa lição para vedetas de vão de escada.

 

Marisa Monte
«Infinito Ao Meu Redor»
Phonomotor/EMI Music Portugal

 

Fonte: Disco Digital

O Cinema Brasileiro está de volta à CBL

O Cinema Brasileiro está de volta à Casa do Brasil de Lisboa! E reinicia já na próxima quinta-feira, dia 12 de Março, às 19h, com o filme "Os Dois Filhos de Francisco" dedicado à vida da dupla de cantores "Zezé de Camargo e Luciano". Essa dupla, hoje muito famosa no Brasil, vê sua vida retratada nesse filme que relata a luta incansável de um pai que aposta na capacidade e talento dos filhos de se tornarem grandes cantores e fazer sucesso nos grandes palcos brasileiros.

As outras sessões estão previstas para:
- 26 de Março, às 19h: "Bossa Nova";
- 09 de Abril, às 19h: "Abril Despedaçado";
- 23 de Abril, às 19h: "Cazuza"

Venha prestigiar o cinema brasileiro! Entrada Gratuita.

Casa do Brasil: Rua São Pedro de Alcântara, nº 63, 1º Dto, Lisboa Tel. : 21 340 00 00.

 

Fonte: Portal da Casa do Brasil

Simone e Zélia Duncan levaram o Campo Pequno ao rubro

Após três duetos, Simone retirou-se e Zélia “limpa o lustro” aos portugueses, dizendo, “Portugal é um país que a gente ama tanto, que tocamos com muito carinho, um país que não nos é indiferente”. Na continuação dos elogios a cantora carioca afirmou, "para mim Lisboa é o Rio de Janeiro de Portugal”.

 

 

Zélia Duncan dedica o tema “cigarra”, escrito pelo poeta brasileiro Itamara, à sua companheira de vida, recebendo um grandioso aplauso. O tema de Luis Tati é terminado em dueto e em unissono, culminando com o primeiro de muitos beijos na boca que o publico foi testemunha, e não ficando indiferente a esta partilha de intimidade respondeu com majestosos aplausos. Ao longo do espectáculo, uma vez que o público reagiu de forma tão positiva, as duas cantoras foram trocando várias intimidades, tendo-se registado o maior e mais prolongado beijo no final da 11ª música da noite, "Alma gémea". As luzes do palco apagaram-se, as cantoras beijaram-se e o público levantou-se para as aplaudir.

É chegada a vez de Simone cantar a solo, o grupo de quatro canções terminou com o tema “Alma géma”, em que a cantora foi buscar a sua companheira para de mãos dadas o terminarem. Recta final do espectáculo em que as duas interpretam o tema que mais agradou ao público, “Alma”, de autoria Cássia Melen, uma cantora falecida recentemente de overdose, logo nos primeiros acordes a euforia explodiu, o publico cantou e acompanhou e com palmas.

Simone e Zélia estiveram ao longo de todo o espectáculo extremamente bem dispostas, sorriraam bastante, pularam, abraçaram-se e dançaram juntas. No final Zélia agradece ao público português dizendo que “foi uma noite inesquecivel”.

Nesta altura já a maioria das pessoas estava fora do seus lugares e o mais próximo do palco possivel para acompanhar de perto o final do excpepcional espectáculo que Simone e Zélia Duncan deram em Lisboa. Abraçadas as duas despedem-se e retiraram-se aos pulos. Mas o público queria mais, muito mais, e o entusiasmo com que gritaram por elas foi de tal forma que nem dois minutos depois entram sempre de mãos dadas para interpretar mais dois temas.

O espectáculo terminou com muita alegria e com as cantoras a distribuirem rosas brancas pelo público.

 

Fonte: Hardmusica

O novo álbum do Calcinha Preta

 

Formada por Silvânia, Bell, Michelle, Marlos e Paulinha, a banda Calcinha Preta está lançando seu novo álbum, "Calcinha Preta 2009 - Volume 20 Ao Vivo". O CD traz canções extraídas de shows realizados pelo grupo sergipano em São Paulo e no Rio de Janeiro. Destaque para o novo sucesso, "Você não Vale Nada", canção que faz parte da trilha sonora da nova novela da Globo, "Caminho das Índias".

 

Fonte: Sucesso

Novo disco de Caetano Veloso será lançado em abril

O novo trabalho de Caetano Veloso, "Zii e Zie", deve ser lançado no início de abril, segundo a gravadora do artista, a Universal.

"Zii e Zie" já está pronto e uma reunião na próxima semana deve definir detalhes de divulgação do projeto.

O trabalho anterior do cantor e compositor foi "Cê" (2006).

 

O cantor Caetano Veloso vai lançar seu novo disco, "Zii e Zie", no próximo mês

 

 

Fonte: Folha Online

Arlindo Cruz passa carreira a limpo no “MTV ao Vivo Arlindo Cruz”

Com 30 anos de carreira, o sambista Arlindo Cruz lança o álbum “MTV ao Vivo Arlindo Cruz”. Gravado em São Paulo, o show traz participações de Zeca Pagodinho (em “Vê se Não Demora”), Marcelo D2 (“Mão Fina”) e Beth Carvalho (“Saudade Louca”), além do filho Arlindo Neto, que cantou com ele “O Império do Divino” e “Aquarela Brasileira”.

“MTV ao Vivo Arlindo Cruz” vai ao ar dia 17 de abril às 22h30. O CD duplo e o DVD que registram o espetáculo serão lançados pela Deckdisc na mesma data.

Arlindo Cruz fez parte do Fundo de Quintal por 12 anos e já compôs canções que foram gravadas por Zeca Pagodinho, Beth Carvalho, Jorge Aragão, Almir Guineto, Alcione, Maria Rita, Rappin Hood e Marcelo D2 entre outros. O músico compôs diversos sambas-enredo para a Império Serrano.

 

Fonte: Canal Pop

Moraes Moreira lança 'A História dos Novos Baianos'

O Carnaval ainda é a menina dos olhos de Moraes Moreira. Lançando o CD/DVD ao vivo A História dos Novos Baianos e outras histórias (Biscoito Fino), cujo repertório mostra nesta sexta-feira na Feira de São Cristóvão (mesmo lugar onde gravou os discos), o cantor diz estar preparando seu segundo livro, Sonhos elétricos, contando detalhadamente a história dos trios elétricos no Brasil. Vindo de uma temporada de carnaval em Pernambuco e preparado para fazer uma apresentação repleta de sambas e frevos num dos lugares mais populares do Rio, o baiano torce o nariz para os rumos comerciais que a festa tomou em seu estado.

 

"Virou carnaval de corda e de abadá, não há nenhuma preocupação com o povo", lamenta. "Não se vê nem mais os Filhos de Gandhy, o Ilê Ayê e o Olodum. Enquanto isso, tenho tomado lições de carnaval em Pernambuco. Sempre gravei muitos frevos e lá me consideram o baiano mais pernambucano", completa.

Ligado ao livro homônimo, que reúne as letras do artista e mais um cordel contando a história do grupo, A História... traz uma mescla de clássicos dos NB com sucessos de sua carreira solo, além de duas inéditas, Oi e Spok frevo spok. Na guitarra e na co-produção, o filho Davi Moraes.

"Foi fundamental tê-lo comigo. Apesar de recordar os Novos Baianos e meus discos solo, não queria um tom saudosista", afirma Moraes, que, apesar de ter retornado com o antigo grupo num duplo ao vivo, Infinito Circular (1997), não se animou com a volta. "Acabei não achando que foi grande coisa. A banda existe sem precisar voltar", conta.

Um dos raros artistas baianos a estar verdadeiramente ligado à cultura nordestina, Moraes diz que ela faz parte de seu dia-a-dia. O cantor, que homenageou o maestro pernambucano Spok na nova Spok frevo spok ("ele foi além do frevo, chegou no jazz"), gravou os extras do DVD passeando na Feira.

"Eu me considero um deles. Leio bastante, estudo. Quando escrevo cordéis, respeito a métrica que eles usam", afirma o cantor, que para seu próximo disco de inéditas se inspira nas cantorias dos violeiros nordestinos. "Ganhei de presente o livro Jaguaribe: o Vale das Violas (do pesquisador Francisco Wilson Raulino) e estou entrando nessa em várias músicas. Quando chegar a hora de lançar vou ter muitas. Componho e nem gravo, guardo na memória. Se lembrar, é porque era para ficar".

 

Fonte: Terra Música

Ivete Sangalo lança 3º DVD em maio

Pode Entrar

 

Agora é oficial. O terceiro DVD de Ivete Sangalo chegará às lojas em maio (no Brasil). Gravado no estúdio instalado na própria residência da cantora, "Pode Entrar" conta com as participações especiais de Saulo Fernandes (Banda Eva), Carlinhos Brown, Lulu Santos, Marcelo Camelo (ex-Los Hermanos), Aviões do Forró e Mônica Sangalo

Com direção musical de Alexandre Lins e de imagens de Joana Mazzucchelli, o repertório do novo DVD traz músicas inéditas, como "Cadê Dalila?", "Na Base do Beijo", "Agora Eu Já Sei" e "Não Me Faça Esperar".

 

Fonte: Carnasite

Pág. 3/3