Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Música do Brasil

Música do Brasil

Fernanda Takai recria universo de Nara Leão em ambiente pop

A vocalista do grupo Pato Fu, Fernanda Takai, edita um novo álbum em nome próprio, em que recria o universo de Nara Leão.

«A ideia foi recriar o universo de Nara Leão, que abrangia muito mais do que a Bossa Nova, e inclui o samba, o chorinho e as raízes da MPB [Música Popular Brasileira], mas este é assumidamente um disco pop», explicou à Lusa Fernanda Takai.

A ideia partiu do jornalista Nelson Motta, que encontrou «coincidências» entre a carreira de Takai e a de Nara Leão, de quem foi amigo.

«A ideia foi do Nelson Motta. A gente nem se conhecia. Ele já tinha elogiado o trabalho do Pato Fu, e achou que eu tinha um jeito de cantar e levar a carreira muito parecido com a Nara Leão. E curioso é que ele não sabia que eu ouvia em pequena Nara Leão e tinha os discos dela», disse à Lusa a cantora.

Tudo isto começou em 2006. Entretanto Fernanda Takai estava empenhada no novo álbum da sua banda, que saiu em Julho do ano passado.

Nara Leão é apontada como «a musa da Bossa Nova» por ter sido no seu apartamento, em Copacabana, que se reuniam alguns dos criadores desta nova sonoridade, designadamente Roberto Menescal, Carlos Lyra, Sérgio Mendes e Ronaldo Bôscoli.

Profissionalmente estreou-se em 1963 ao lado de Vinícius de Moraes e Carlos Lyra na comédia «Pobre menina rica».

«A feitura deste disco foi algo peculiar, disse Fernanda Takai. A gente começou fazendo este disco trocando e-mail, telefonemas, pois ele mora no Rio de Janeiro e eu em Belo Horizonte. Fomos escolhendo as músicas, eu gravei no meu estúdio, mandei em MP3 para ele ouvir e quando a gente deu por isso tinha um monte de músicas, as faixas todas para fazer um disco».

«E depois de sair o disco do Pato Fu em Julho - prosseguiu -, estava mais a vontade para fazer o disco».

Fernanda Takai gravou as canções de Nara Leão acompanhada por John Ulhoa (guitarra, baixo, violão, teclados, programação e voz) e Lulu Camargo (piano, teclados, programações e voz).

Entre os treze temas escolhidos conta-se «Com açúcar, com afeto», «Estrela do sol», «Odeon» ou «Diz que fui por aí» que abre o álbum editado pela IPLay.

O álbum reúne não apenas composições escritas por Nara Leão (1942/1989) mas «muitas que foi ela que apresentou ao público pela primeira vez».

«O grande trabalho de Nara na música brasileira foi como intérprete que apresentava novos autores para o público, como Chico Buarque. Ela foi uma cantora que incentivou muito a produção musical de novos autores», explicou a cantora.

Por outro lado, realçou, «este álbum mostra que Nara foi uma cantora além da Bossa Nova e muito importante para a construção do repertório da MPB [Música Popular Brasileira]».

Fernanda Takai actuou recentemente com a sua banda no RockinRio, em Lisboa, ao lado dos Clã, que qualificou de «mão muito amiga».

As duas bandas já actuaram juntas no Porto, em Braga e em Lisboa e feito colaborações nos respectivos álbuns, o que Fernanda Takai descreve como «trocar figurinhas musicais».

Da música portuguesa afirma «conhecer muito pouco mas Manuela Azevedo e Hélder Gonçalves vão fazendo essa ponte entre a cena local portuguesa e o Brasil, onde chega tão pouco da música portuguesa».

Além dos Clã, Fernanda Takai conhece e gosta do trabalho que têm feito Camané, Ornatos Violeta, Jorge Palma, Sérgio Godinho e Pedro Abrunhosa.

A cantora brasileira tem agendada para o final do ano «uma pequena digressão de apresentação deste disco em Portugal», mas não adiantou locais e datas.

 

Fonte: Disco Digital

Comentar:

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.