Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Música do Brasil

Música do Brasil

“Travessia” o novo álbum da Canto dos Malditos na Terra do Nunca

Onze anos depois do trabalho de estreia, a Canto dos Malditos na Terra do Nunca retorna com um novo álbum. “Travessia” mostra dez faixas inéditas lançadas de forma independente em todas as plataformas digitais e em formato físico. O carro-chefe do trabalho é a canção “À Deriva”, uma metáfora sobre relacionamentos disponibilizada junto a um lyric vídeo uma espécie de amostra da nova estética da banda.

Se em 2006 a atitude jovem do quinteto era uma mistura de nu metal com amor, em “Travessia” a banda se vê mais adulta e contemporânea. Nesta nova fase, a CMTN ainda fala de amor, mas do ponto de vista de olhar para si e desenvolver seu próprio caminho. As melodias ainda mantêm o vigor rítmico, mas agora acrescido de elementos eletrônicos e brasileiros. As faixas foram inicialmente trabalhadas em um home estúdio pela vocalista Andrea Martins, e em seguida por toda a banda, num reencontro de novidade e nostalgia.

“Nós precisávamos nos atualizar como artistas. Assim, fui buscar músicas que caberiam dentro desse disco. Procurei composições novas que vinham de outras influências e busquei também coisas de gaveta que poderiam ser para um eventual segundo disco da Canto, na época. Isso me ajudou a voltar aquelas memórias e desenhar essa nova história“, revela Andrea, compositora de todas as faixas do trabalho.

Assim como o mar, o trabalho tem muitas nuances. A relação com as águas aparece em várias canções e aparece também a arte gráfica do material, assinada por Rana Tosto. O movimento tem relação com a volta de Andrea para Salvador e seu reencontro com a cidade natal e a banda. Travessia é também uma referência ao mar, ao tempo que o grupo passou separado e a nova fase de vida do quinteto.

O álbum foi gravado no estúdio T, no Rio Vermelho, em Salvador, com André T, que assina a produção do registro ao lado de Tadeu Mascarenhas,  responsável pela mixagem, masterização e alguns teclados do disco. As fotos são de Rana Tosto, responsável também pela direção de arte ao lado de Andrea Martins, diretora musical do registro junto de Leonardo Bittencourt.