Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Música do Brasil

Música do Brasil

Conheça Victor Cavalcanti, artista que une indie e pop como forma de desabafo

Victor Cavalcanti - 02 - Cau Braga.jpg

 

Usando canções para enfrentar seus próprios demônios, o cantor e compositor Victor Cavalcanti faz música e poesia para abrir o coração. Com influências claras do indie e do pop, o artista paulista expõe suas fragilidades, inseguranças e ansiedades no urgente e ousado projeto musical, poético, audiovisual e fotográfico “Caos”, lançado nesse ano.

 

Confira “Caos”:

 

 

“Eu sempre tenho ideias lindas em meus momentos caóticos, são nesses momentos minhas horas mais criativas. Eu anoto tudo ou gravo no celular e vou acumulando. Quando a cabeça esfria e eu entendo pelo o que eu passei, começo a colocar técnica, produção e afins. Acho que eu, sem caos, nunca criaria nada”, conta Victor. “Minha teoria é de que fomos feitos para o caos, e precisamos aprender a lidar e crescer com ele”.

A jornada de Calvacanti tem um começo curioso. Ainda criança, ele cantava em igrejas e chegou a gravar um EP de música gospel, um gênero completamente oposto do que guia seu trabalho atualmente.

“O gospel me influenciou muito em querer dar significado, em fazer algo que mova as pessoas e que elas sintam conectadas com elas e com outras pessoas. Quando pequeno eu via como as canções embalavam boas pregações, e me apeguei nisso, de querer passar significado as pessoas”, conta ele.

Gravando demos desde 2011, Victor lançou a mixtape “(Des)controlar” (2015) unindo todos os estudos de produção que fez. Como processo de cura de uma depressão, ele lança “Caos”, que fala sobre todo esse momento delicado com franqueza e criatividade. O projeto é a narração do fim do primeiro relacionamento de Victor, entregando infantilidades de suas atitudes e até as irracionalidades do mesmo.

 

Confira o video de “Toma”, uma das faixas: 

 

 

“No processo desse projeto, eu vi que fazer música apenas não me preenche como artista, e decidi que a música seria apenas uma parte, e que iria fundo em todos os cantos desse projeto. Tudo iniciou com uma história, que seria de um rei que perde sua coroa por confiar em um bobo da corte. Quando comecei a compor as músicas, vi que faltariam algumas coisas para a história desse rei se fazer entendida, foi onde nasceu a ideia de criar poemas. No livro digital, disponível no meu site e no iTunes, os poemas ficam em uma sequência que conta a história junto das músicas”, conta Victor.

O processo por trás da cura proposto por Cavalcanti passou pelo retorno ao amor próprio, que é retratado na capa inspirada pelo Narciso, de Caravaggio, até pelo uso da luz natural, de sol, sem edições e expondo pele, texturas, olheiras e imperfeições.

“Olho pro meu diário, de onde tirei ‘Caos’, e vejo como tudo era confuso ali. Quando fui trabalhar no projeto, sofri novamente. Trabalhando as faixas, eu trabalhei eu mesmo. Fui entendendo o que aconteceu e quem eu era em tudo isso. Arte, de toda forma, cura”, reflete Victor.

Abrindo o projeto está “Toma”, faixa que ganhou um vídeo próprio e retrata uma paixão em forma de uma entrega cega ao sentimento, sem pensar nas consequências disso.

“Nesse projeto eu conto uma história e nela eu cresço e mudo. Em partes, eu apresento quadros da minha vida e visões minhas com que eu não compactuo mais. Essa é uma delas. Penso que nunca mais me ‘jogaria’ desta forma, não acho saudável”, conta ele.

Inspirada em Kanye West e Chance the Rapper, “Reinando” surgiu de forma fluida, trabalhando frases soltas sobre camadas de batidas, como que reunindo tudo que marcou daquela experiência para virar a página de vez.

 

Confira o making of do álbum: 

 

 

“Foi libertador. Não apenas pelo fato de fazer algo de forma tão diferente de tudo que fiz, mas pela abordagem”, explica Victor.

“Libertar” foi a primeira faixa composta para o projeto e lida com a dualidade das tentativas de ajudar alguém acabar atrapalhando e trazendo problemas para quem queria ajudar. Victor usa os conceitos de liberdade e prisão através de alguns signos presentes em toda a obra: a coroa perdida e retomada, as chaves que prendem e os livros que servem de registro para tudo.

“Você pode se aprisionar ao tentar libertar alguém, sabe? Isso é contraproducente, e foi exatamente o que fiz. Essa faixa fala sobre isso mesmo, sobre realizar que você tem limites pra ajudar. Ela mexe muito comigo, eu até me emocionei quando gravei ela no estúdio”, conta ele.

A mixtape multimídia “Caos” está disponível nas plataformas de música digital e no site de Victor Cavalcanti (https://www.eusoucavalcanti.com/caos)

 

Ouça “Caos”:

 

YouTube: https://www.youtube.com/watch?v=Md40VnBogiI

Spotify: http://spoti.fi/2wErXSb

Deezer: http://bit.ly/2w5U4Ky

Google Play: http://bit.ly/2f7D9AG

Apple Music: http://apple.co/2xfl240

 

Siga Victor Cavalcanti

Facebook: facebook.com/eusoucavalcanti

YouTube: youtube.com/eusoucavalcanti

Instagram: instagram.com/eusoucavalcanti

Twitter: twitter.com/eusoucavalcanti