Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Música do Brasil

Música do Brasil

Jota Quest debuta novo CD e turnê recheada de amigos

 

E lá se vão 15 anos desde que o Jota Quest lançou seu primeiro CD. Em 1996, o grupo mineiro ainda se chamava J. Quest e era basicamente uma banda de música soul, destacando os importantes nomes do gênero no Brasil Toni Tornado, Tim Maia e Hyldon. O aniversário de carreira é celebrado este ano com o recém-lançado CD Quinze, reunindo sucessos, lados B, raridades e três inéditas, e turnê nacional, que começa por Palmas, no Tocantins, no dia 14 de maio.

 

"Há 15 anos, a gente era apenas cinco mineiros tocando black music", recorda o vocalista Rogério Flausino. "A gente entrava no palco com perucas, como as que usamos na capa do primeiro disco, e nego não tirava o olho das nossas roupas espalhafatosas. Foi nosso momento Lady Gaga! Só faltava pendurar melancia no pescoço".

A partir do segundo CD, De Volta Ao Planeta(1998), quando muda de nome e passa a fazer músicas de mais fácil aceitação, o Jota Quest começa a sofrer críticas de que teria se perdido, ficando pop e comercial ao extremo, virando referência de uma juventude que bebe refrigerante com a fotinho dos ídolos estampada na lata (em 2001, o grupo estrelou uma campanha publicitária da Fanta Laranja).

"A mudança da qual nos acusam ter sido oportunista, não foi algo proposital ou planejado. O lance é que bateu uma overdose de funk e soul, e a gente gostava daquela brincadeira do Fácil, afinal, todo mundo quer fazer sucesso e ter uma música para todos cantarem, não é?", defende-se Flausino. "E, na minha opinião, apesar de termos feitos diversas baladas, nunca deixamos de ser uma banda dançante".

Amado Brasil afora, elogiado por nomes como Luciano Huck, regravado por Fábio Jr. em seu mais recente CD, dono de sucessos cantados de Norte a Sul e com um punhado de discos de platina na bagagem, o Jota Quest mostra, 15 anos depois da estreia em disco, que, nesta terra de gigantes, se tornou mais que apenas uma banda em uma propaganda de refrigerante.

"Quinze anos é data de debutante. É quando você olha para a menina e diz: 'agora é que vai começar'. Vamos cair na estrada com esta turnê retrospectiva e, a partir de agosto, começar a fazer músicas novas para lançar um novo disco de inéditas no início de 2012", conta.

Aos 39 anos - completados na última segunda-feira (25) - e com uma filha de 4, Rogério Flausino já imagina possibilidades para os próximos 15 anos. "Quero dar uma desacelerada. Já pensei em algo solo,um CD em homenagem ao Cazuza ou ao Tim Maia, mas teria que ser algo com o consentimento do pessoal da banda", ressalta.

 

Fonte: Terra Música