Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Música do Brasil

Música do Brasil

Dois lados de Carlinhos Brown

 

 

 

 

A música de Carlinhos Brown sempre foi múltipla. Agora isso fica ainda mais evidente, quando o compositor lança dois discos simultâneos, irmãos no tempo mas de propostas bem diferentes. Em Diminuto a sonoridade é toda acústica, apresentando composições em forma de samba e bossa. Já Adobró é uma festa de timbres eletrônicos, onde as misturas imperam. Os dois CDs chegam ao mercado pela Sony Music com o bem vindo programa de patrocínio Natura Musical.

Entre o acústico e o eletrônico, Carlinhos foge de todos os rótulos que podem tentar vestir sua música. Timbalada-Tribalista-Tropical, aqui ele é melodista inspirado de belíssimas canções que acariciam a tradição da música brasileira. Mas também é o planetário que grita a festa misturando percussão e instrumentos eletrônicos, com peso de uma rave baiana. Dois (e mais) lados do artista inquieto.

O som é orgânico, de cor brasileira. Carlinhos é melodista sofisticado em Diminuto, álbum de capa branca e fina tez, que namora a bossa e o samba em composições muito inspiradas. Em Mãos denhas traz elegante participação de Chico Buarque declamando o poema Suor caseiro. Já em Verdade, uma ilusão, composição do trio tribalista Carlinhos+Arnaldo+Marisa, a dobradinha acontece com o grupo Paralamas do Sucesso, que também aparece no álbum mais festivo.

Do outro lado são timbres eletrônicos, experiências pop e clima de festa em tom planetário. Adobró é álbum de ritmos mais variados e verve criativa, mas não chega a mesma excelência de Diminuto, talvez por estar mais próximo do universo mais conhecido de Brown. Dessa vez os Paralamas estão em Yarahá, ensolarado pop com forte toque latino, mergulho no litoral e viagem Brasil afora. Globalizado, o disco traz músicas em inglês em que a batida afro-baiana se misturam a samplers e programações.

O panorama total vai da bossa ao funk. Liquidificador pop de influências/referências diversas, a música de Carlinhos Brown não é de resumos. Melodista de mão cheia, músico competente, sua carreira solo é livre e plural. Como são diferentes esses dois álbuns, conceitos que se tocam na figura central do artista. Entre Diminuto e Adobró Brown não surpreende, visto que já se espera essa diversidade, mas agrada em sua policromia.

 

 

 

 

Fonte: ZiriGuidum