Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Música do Brasil

Música do Brasil

Barro

 

Coletivismo. Se uma incursão solo determina algum tipo de solidão, a estreia do Barro abre novos precedentes para a definição de coletivo. O multi-instrumentista e compositor recifense se solta um pouco da Bande Dessinée, na qual canta e é guitarrista, para começar seu próprio caminho, iniciando com o single e clipe de “Vai”.

A música, uma junção de reggae/dub com bastante apelo pop e backing vocals que funcionam como palavras de ordem, expõe a pluralidade de referências trabalhadas por Barro. O músico conta que “a inspiração para letra veio dessa melodia que sempre fala ‘Vai’. Decidi falar sobre essa necessidade da vida de sempre seguir adiante e levar pra frente nossos ideais, queria falar também sobre não deixar se trair, ser fiel aos seus instintos as coisas que te levam a lugar melhor”.

A canção foi produzida de forma conjunta por Barro (voz, guitarra e synth), Ricardo Fraga (bateria), Rogério Samico (baixo, piano elétrico, backing) e William Paiva (samplers, synths, piano elétrico, órgão e programações), músicos e produtores da nova cena pernambucana e amigos do cantor. A faixa tem ainda as participações de Ed Staudinger nos sintetizadores, Carlos Ferrera e Clarice Mendes nas vozes, e da italiana Serena Altavilla (Solki, La Band Del Brasiliano, Blue Willa, Calibro 35) nas vocalizações – esta que divide o microfone com Barro na versão italiana da música que será lançada simultaneamente.

A mixagem é assinada por Gustavo Lenza (Céu, Curumin, Lucas Santanna, Racionais Mc's, Herbie Hancock), com Felipe Tichauer na masterização (Céu, Bixiga 70, Rod Stewart, Timbaland), feita no Red Traxx Estúdio, em Miami. O projeto gráfico da capa do single é do mineiro Laurindo Feliciano, um dos novos expoentes do design no mundo, radicado na França e que já trabalhou para WIRED UK, The Financial Times, Cosmopolitan e muitos outros.

Videoclipe - Tamanha quantidade de amigos e do coletivismo que envolveu a produção contagiou também o seu clipe, que explora as relações humanas. Os diretores Matheus Farias e Enock Carvalho decidiram explorar imagens de um casal que está visualmente e geograficamente distante, mas que coexiste nos espaços, onde as estradas, o céu e demais elementos seriam responsáveis por unir estas duas pessoas, sem que esteja claro qual a proximidade afetiva que possam ter. As gravações aconteceram nas praias da Calhetas, Gaibu e Paiva, e no brejo de Serra Negra, no agreste pernambucano.  A direção de fotografia é de Maira Iabrudi.

“Vai” é a primeira amostra do disco Miocárdio, a estreia solo do artista, a ser lançado mundialmente em 2016 pelo selo e agência musical italiana A Buzz Supreme (Criolo, Ani DiFranco, Joss Stone e Rokia Traoré). A canção está disponível para audição nas principais plataformas de streaming (Spotify, Deezer, Youtube, Apple Music, Napster e outras) e no site oficial do artista: http://barromusic.com/

Sobre Barro:

Barro é o passo solo que o guitarrista e compositor da Bande Dessinée deu além de suas produções, arranjos e participações em discos de parceiros. O projeto é também uma resposta as diversas influências e experimentos com novas sonoridades que o músico se propôs nos últimos anos quando produziu artistas como Muta, Paes e a própria Bande Dessinée, além de compor com outros artistas como Coutto Orchestra, Marsa e Victor Camarote.

Para o disco, o músico procurou chamar grandes parceiros com os quais já dividia produções musicais, bandas e experimentações, convidando também músicos que admirava muito, transformando o disco numa experiência coletiva, pop com influência nordestina e ao mesmo tempo homogênea. O lançamento do álbum será em meados de 2016 com lançamento europeu pela agência musical italiana A Buzz Supreme, com mixagem de Gustavo Lenza e masterização de Felipe Tichauer.