Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Música do Brasil

Música do Brasil

Pelo 2º ano seguido, "Lepo Lepo" é a música mais tocada em shows no Brasil

Pelo segundo ano consecutivo, a música "Lepo Lepo", do grupo baiano Psirico, foi a música mais tocada em shows no Brasil em 2015. Completam o ranking "Maus Bocados", gravada por Cristiano Araújo, "Jeito Carinhoso", por Jads & Jadson,"Domingo de Manhã", Marcos & Belutti, e "Porque Homem Não Chora", hit do cantor Pablo.

A lista foi divulgada nesta quinta (28) pelo Ecad (Escritório Central de Arrecadação e Distribuição, que também informou quem são os autores que mais receberam com direitos autorais em apresentações. Encabeçam a lista os cantores e compositores Sorocaba, Roberto Carlos, Dave Grohl, Marcelo Camelo e Erasmo Carlos.

No segmento Música ao Vivo, que ignora execuções feitas a partir de gravações, o ranking é liderado por Djavan, seguido por Lulu Santos, Renato Russo, Caetano Veloso e Nando Reis. Já em Rádio, os músicos que mais faturaram com execuções foram, na ordem, Bruno Caliman, Anderson Freire, Roberto Carlos, Sorocaba e Nando Reis.

Segundo o Ecad, em 2015 foram distribuídos R$ 771,7 milhões a 155.399 titulares de música (compositores, intérpretes, músicos, editores e produtores fonográficos) e associações 10% acima da meta estipulada pela instituição. Desse total, 68% foram repassados a titulares do repertório nacional.

As músicas mais tocadas em shows no Brasil em 2015, segundo o Ecad

1. "Lepo Lepo" (Magno Santana/Filipe Escandurras)
2. "Maus Bocados" (Gerson Gabriel/Rafael/Bruno Varajão)
3. "Jeito Carinhoso" (Allê Barbosa)
4. "Domingo de Manhã" (Bruno Caliman)
5. "Porque Homem Não Chora" (Ronny dos Teclados)
6. "Gordinho Gostoso" (Dj Ivis)
7. "Até Você Voltar" (Juliano Tchula/Marília Mendonça)
8. "Não tô Valendo Nada" (Henrique Tavares/Juliano)
9. "Logo Eu" (Samuel Deolli/Filipe Labret)
10. "Fui" (Fabio O'Brian/Pablo/Magno Santana/Filipe Escandurras)

 

Fonte: UOL Música

Ivete Sangalo será atração do Rock in Rio Lisboa, em maio

 

Ivete Sangalo foi anunciada como uma das atrações do Rock in Rio Lisboa. A rainha, que estará pela sétima vez no festival, se apresentará no mesmo dia do Maroon 5, 28 de maio, dia de encerramento do festival.

 
Os outros dois que se juntam ao line-up são Mika e Fergie, que sobem ao palco no dia 20, mesmo de Queen + Adam Lambert.
 

O Rock in Rio Lisboa ocorre no Parque da Bela Vista, nos dias 19, 20, 26, 27 e 28 de maio. Os nomes já confirmados são Bruce Springsteen (19); Queen+Adam Lambert, Mika e Fergie (20); Hollywood Vampires, Korn e Rival Sons (27); Maroon 5 e Ivete Sangalo (28 de maio).

 

Fonte: Vírgula Música

Gusta Proença

No seu primeiro trabalho solo em estúdio, o álbum KIRIMURÊ, de Gusta Proença une texturas e estéticas sonoras do antigo e do contemporâneo. É uma palavra tupinambá e significa “grande mar interior”, assim é chamada a Baía de Todos os Santos - BA

Canções de sua autoria e parcerias que, com simplicidade em sua essência e desenhos melódicos, parecem estar em nosso inconsciente e retratam vivências: ora no calor e alegria da Bahia, ora na malandragem e agito do Rio de Janeiro e São Paulo, ora nos estádios e bares de Curitiba. Temperado com percussões, mas valorizando a base de baixo-bateria, “Kirimurê” tem arranjos do próprio Gusta e de Tiago Portella (cavaco). Arranjos que passeiam pelos sopros do trompete, trombone, fagote, flauta; pelo fole da gaita-ponto e coros bem definidos e leves, que dão vontade de cantar junto.

Os convidados especiais trazem dinâmica e personalidade ao álbum, costurando as vozes junto com Gusta nas canções: “Roda de Ganga” com a participação de Zeca Baleiro, uma homenagem à capoeira e toda sua bagagem cultural. A presença do parceiro de composição Leo Fé em “Inaê”, canção sobre a fé que se leva na vida para se sobrepor às marés. E François Muleka que empresta todo o brilho e autenticidade da sua voz na canção “No Deserto”.  

KIRIMURÊ é a fusão do tropical urbano e mateiro que Gusta Proença mistura com sua originalidade e influências artísticas.  

 

Fonte: Guta Proença