Depois da estreia no Brasil, Milton Nascimento e o Jobim Trio trazem “Novas Bossa”s à Casa da Música, o ponto de partida para uma digressão mundial.

Foi nas comemorações dos 80 anos de Tom Jobim, em 2007, que Milton Nascimento aceitou, finalmente, o convite do Jobim Trio para um concerto conjunto. A experiência levou os músicos à conclusão de que estava na altura de fazerem a devida e esperada homenagem a um dos maiores intérpretes da bossa nova.

António Carlos Jobim dizia que Milton Nascimento era o único cantor capaz de alcançar o tom original de suas composições. Numa altura em que se comemoram os 50 anos da bossa nova, o mais mineiro dos cariocas editou “Novas Bossas”, ao lado do trio formado por Paulo Jobim, Daniel Jobim e Paulo Braga, respectivamente filho, neto e antigo baterista do Maestro.

Novas Bossas é o primeiro registo a sair com o selo Nascimento Música. Para além dos clássicos Inútil Passagem, Caminhos Cruzados ou Brigas Nunca Mais, este registo conta com Dias Azuis, de Daniel Jobim, e com temas do tempo do Clube da Esquina (movimento musical nascido na década 60, em Minas Gerais), como Tudo o que você queria ser, Cais, Tarde, Medo de Amar e O Vento.